sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Polêmica: Neguinho diz que dinheiro sujo organizou o carnaval

por Ph Lima

A matéria abaixo, retirada do site do Estadão, nos chama à refletir sobre um dos maiores espetáculos da terra: o carnaval no Brasil. E mais especificamente o carioca. 

Após muitos questionamentos e críticas em torno do patrocínio da escola campeã do Carnaval do Rio de Janeiro de 2015, o intérpetre da agremiação, Neguinho da Beija-flor, fez importante questionamento: qual a diferença entre a Beija-flor receber dinheiro do ditador da Guiné Equatorial ou a Portela receber dinheiro de Luiz Fernando Pezão, governador do Rio de Janeiro?
Nisso Neguinho tem razão: a Ditadura da Guiné não mata mais do que a Ditadura do Rio de Janeiro.

A matéria também revela uma triste realidade a qual Marcelo Freixo (dep. estadual - PSOL/RJ) apontou durante sua campanha para a prefeitura do Rio em 2012. Ela revela a relação entre o crime organizado, em especial a Milicia, com o samba. 


Historicamente isso se deu devido ao completo abandono cultural por parte do poder público a tudo que tinha origem preta. Essa confissão de Neguinho, só constata uma realidade que todo mundo sabe, mas poucos combatem com medo de impopularidade e de atacar interesses dos que lucram com nela


Mas é injustiça atacar o samba, ele é tão vítima da milícia quanto nós. As escolas em grande parte tem essa relação de promiscuidade com a milicia e o tráfico, porque são vítimas deles e da negligência de um governo do estado e de uma prefeitura a serviço de grupos criminosos e do crime organizado.


Ou seja, derrotar essa corja é fundamental para libertar nossa cultura preta das mãos da milícia!
----

'Se hoje temos o maior espetáculo do planeta, agradeça à contravenção', diz Neguinho

por Lucas Azevedo, para o Estadão

Intérprete da escola de Samba Beija-Flor e um dos sambistas mais famosos do País, Neguinho da Beija-Flor afirmou que o dinheiro sujo organizou o Carnaval do Rio de Janeiro. A declaração foi dada ao vivo, por telefone, na manhã desta quinta-feira à Rádio Gaúcha, de Porto Alegre, do Grupo RBS. "Se não fosse a contravenção meter a mão no bolso, organizar, estaríamos ainda naquele negócio de arquibancada caindo, desfile terminando duas horas da tarde, cada escola desfilando duas, três horas e a hora que quer. E a coisa se organizou", afirmou. Em seguida, falou em tom irônico: "Se hoje temos o maior espetáculo audiovisual do planeta, agradeça à contravenção".
O cantor foi questionado sobre a polêmica que envolveu o título da Beija-Flor este ano, de que, ao comemorar a cultura africana, homenageou Guiné Equatorial, país que vive em uma ditadura há 35 anos. Neguinho minimizou o fato, dizendo que a Europa tem histórico de exploração de negros, mas que comumente é celebrada nos desfiles.
Sobre o fato de que a Beija-Flor teria recebido um patrocínio de R$ 10 milhões do governo do ditador Teodoro Obiang, Neguinho declarou não ter conhecimento, mas disparou: "Deixa falar. Deu mídia. Deixa falar". E emendou: "A Portela também teve um patrocínio muito forte. O governador do Rio de Janeiro, o Pezão, queria que a Portela ganhasse. Vai dizer que ele não fez investimento? O prefeito é portelense doente. Vai dizer que não colocaram dinheiro na Portela?".
Neguinho foi questionado em seguida sobre a contribuição de contraventores, como milicianos, donos de bancas do bicho e até de traficantes às escolas. Nesse momento, disse: "Se não fosse dinheiro da contravenção, hoje não teríamos o maior espetáculo audiovisual do planeta. Eu sou do tempo que desfile de escola de samba era a maior bagunça. Terminava duas, três horas da tarde. Chegou a contravenção e organizaram. Hoje eles batem no peito e dizem com o maior orgulho 'a maior festa audiovisual do planeta'. Agradeça à contravenção".

Um comentário:

edsonjnovaes disse...

Para apreciação disponível em:

https://edsonjnovaes.wordpress.com/2015/02/20/neguinho-da-beija-flor/ ou
http://www.cancerianosemlar.com.br/2016/02/neguinho-da-beija-flor.html

Parabéns pelo seu trabalho.

Obrigado.